Dúvidas

Aqui estão as respostas das dúvidas mais comuns sobre a Igreja Anglicana.

Envie também a sua dúvida no link Fale Conosco

Quem fundou a Igreja Anglicana?

        A resposta encontrada nos livros de história de que foi Henrique VIII não corresponde a verdade, pelo simples fato de que o controvertido rei não podia fundar algo que já existia. A resposta correta é Jesus Cristo.

A Igreja Anglicana é Católica ou Protestante?

        Temos a tradição católica com a renovação que tomou conta da Igreja. A Igreja Anglicana é aberta, liberal e democrática, onde os elementos se conjugam e se completam. Temos então liberdade de prestarmos culto a Deus, de acordo com o espírito de cada comunidade. A Igreja procura um equilíbrio harmonioso entre nossa preciosa herança Anglicana e as necessidades do presente momento, sem esquecermos que somos uma Igreja Católica que é, e deve ser, continuadamente reformada, sem perder, contudo, os valores perenes e fundamentais da tradição Cristã. Nossa Igreja é católica para toda a verdade e protestante contra todos os erros dos homens. (Livro de Oração Comum) “De modo que nem o que planta, nem o que rega tem importância, mas sim Deus, dá o crescimento”. (I Cor 3,7)

Porque os divorciados se casam nesta Igreja?

       Porque Deus não nos quer ver sofrer; não nascemos para viver uma vida infeliz. Quando um dos cônjuges “mata” o casamento, com traições, mentiras, humilhações e violência, nossa Igreja ama, acolhe e oferece uma nova vida a quem busca se erguer em Cristo, que disse: “Eu vim para que todos tenham vida”. (Jô 10,10)

A Rainha/Rei da Inglaterra é chefe da Igreja Anglicana?

       A Rainha e/ou Rei da Inglaterra, é sem dúvida o membro mais conhecido da Igreja. Mas somente na Inglaterra há um vinculo de ambas as partes, Monarquia e Clero, para o bem do País. Por isso, alguns assuntos que envolvam o poder temporal, a Igreja consulta a Rainha e/ou Rei e vice e versa.

 Quem pode comungar na Igreja Anglicana?

       Foi o Senhor Jesus quem institui a Eucaristia e na noite da instituição Ele deu a comunhão a Pedro, que iria negá-lo; a Tomé que duvidou Dele; a Judas que o traiu e aos outros discípulos que fugiram quando Ele foi entregue a morte. Portanto, se o próprio Cristo, não negou a comunhão, quem somos nós para negá-la? Qualquer pessoa batizada em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, em qualquer Igreja Cristã, tem o altar Anglicano como mesa aberta para receber o Corpo e o Sangue do Senhor Jesus. Tudo isso, por obra da misericórdia Dele, que afirmou: “Não jugueis e não sereis julgado”. (Lc 6, 37)

E quando aos métodos anticoncepcionais?

       O casal deve decidir o que é melhor para sua família, sempre acompanhada de um planejamento. Por que e para que tantas crianças sem escola, sem saúde e sem lazer? Por que criar por criar e depois deixá-las nas ruas ou super lotar a FEBEM? Nós cremos e apoiamos um planejamento familiar apoiado pela ciência, que é Dom de Deus para a humanidade. Nossa Igreja não despreza o uso da razão e da investigação cientifica e na sua longa história, a pastoral da Igreja Anglicana respeita a liberdade individual e não determina automaticamente que os seus membros têm de fazer isso ou aquilo.  Mas que, para o seu próprio bem, devem, seguir os ensinamentos da Igreja e decidir por si mesmos sobre o caminho a tomar. “Examinai todas as cousas, retende o que é bom”. (I Ts 5,21)

Posso me casar, ser batizado ou crismado nesta Igreja?

      Pode! Basta desejar, nós te aceitamos e te recebemos no amor incondicional de Jesus Cristo.

Como a Igreja Anglicana vê os Santos?

        Primeiramente não nos esquecemos que a sagrada Escritura é clara ao afirmar: “Jesus é o caminho a verdade e a vida e ninguém vai a Deus senão for por Ele”. Mas nós cremos também que no corpo místico de Jesus Cristo, Deus vinculou todos os seus escolhidos em uma só comunhão e irmandade. Portanto, é saudável buscar imitar, em vida e virtude, os Bem-Aventurados Santos. Nós oramos no Credo que acreditamos na comunhão dos Santos, declaramos então que estamos unidos com todo o povo de Cristo, vivos ou ressurretos lá onde há muitas moradas, segundo Jesus.

Como os Anglicanos vêem Maria?

       Eis as palavras do anjo Gabriel e de Isabel, ditas a Maria no Evangelho de Lucas; “Ave Maria, cheia de Graça, o Senhor é convosco; Bendita sois Vós entre  as mulheres, e bendito o fruto de vosso ventre, Jesus”. Maria é tida como a favorita entre os Santos, pois quem pode estar mais próximo de Cristo do que aquela que lhe deu a carne, que o carregou, o amamentou, o lavou, o alimentou, o vestiu, o ensinou e que finalmente o segurou morto em seus braços?. O próprio Evangelho deixa claro que devemos honrá-la. Quando Isabel diz: ” Tu és a mais Bendita entre todas as mulheres. Por que me está sendo dada a honra de que venha a mim a mãe do meu Senhor?” (Lc I:42-43). E quando Jesus na cruz entregou Maria para ser a mãe do apóstolo amado, a Igreja sempre entendeu que isso significava que Ele a estava entregando para ser a mãe de todos seus amados discípulos, mãe dos cristãos e mãe da Igreja. Maria não é algum tipo de deusa, e sim, ao contrario, ela foi considerada a mais humilde entre os humildes, mas que obedeceu à vontade de Deus, carregou Seu Filho neste mundo, participou de Seu sofrimento mais do que ninguém e, por isso, agora participa em sua glória. Eis porque o anjo Gabriel previu que todas as gerações a chamariam de Bem-Aventurada, e assim sempre o será.

 Cruz Celta